Alcácer do Sal, Palmela e Sesimbra debatem conquista aos mouros

Regional C Últimas B

Colóquio internacional traz à região especialistas nacionais e estrangeiros para três dias de debate entre esta sexta-feira e domingo. ‘Da conquista de Lisboa à conquista de Alcácer: definições e dinâmicas de um território de fronteira’ é o tema

 

 

‘Da conquista de Lisboa à conquista de Alcácer: definições e dinâmicas de um território de fronteira’ é o tema do colóquio internacional que começa esta sexta-feira, 19, em Palmela, estará  sábado em Alcácer do Sal, e termina no domingo em Sesimbra.

O debate, itinerante e em três partes, é organizado pelos municípios de Palmela, Alcácer do Sal e Sesimbra, em conjunto com o Centro de História da Universidade de Lisboa, o Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades da Universidade de Évora e o Instituto de Estudos Medievais da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

A iniciativa, que reúne um conjunto diversificado de investigadores, nacionais e estrangeiros, pretende analisar a forma como os 70 anos que medeiam entre a conquista de Lisboa e de Alcácer do Sal configuraram e condicionaram o desenvolvimento de um território considerado “de fronteira”.

Segundo a organização, a reavaliação do conhecimento sobre a ocupação da região e suas características é o objectivo central deste colóquio, que reunirá especialistas dos períodos medieval islâmico e medieval cristão peninsular nas áreas de arqueologia, arte, arquitectura e história, nas suas múltiplas vertentes.

Este ano de 2017 marca a passagem do 8.º centenário da conquista de Alcácer do Sal e o 870.º da conquista de Lisboa pelas forças portuguesas e cruzadas.

Para sexta-feira, na Biblioteca Municipal de Palmela, no primeiro dos três dias de trabalho, o programa começa às 9h00, e termina com uma visita ao Castelo de Palmela, às 18h30. Entre os oradores estão nomes como José Mattoso (IEM-Universidade Nova de Lisboa), Maria Jesús Viguera Molíns (Universidade Complutense de Madrid), Patrice Cressier (CIHAM-UMR 5648, Lyon), Maria Filomena Barros (CIDEHUS-Universidade de Évora), Francesco Renzi (FL-Universidade do Porto-CITCEM), ou Christophe Picard (Paris 1-Panthéon Sorbonne).

Já sábado, no Auditório da Pousada, o colóquio começa também às 09h00, igualmente com especialistas nacionais e estrangeiros, como Sophie Gilotte (CNRS, CIHAM-UMR-5648), Hermínia Vilar (CIDEUS-Univ. de Évora) ou Luís Filipe Oliveira (Univ. do Algarve).

Os trabalhos em Alcácer do Sal encerram com uma visita à Cripta Arqueológica, as 18 horas, antecedida da inauguração da exposição ‘1217 – Imagens de duas culturas’, que fica patente na Pousada D. Afonso II até 31 de Julho.

Em Sesimbra, no domingo, o encontro começa também às 09h00, no Cineteatro Municipal João Mota, e o dia termina com duas visitas; ao Castelo de Sesimbra e ao Santuário do Cabo Espichel.

Entre os oradores deste terceiro dia estão Christine Mazzoli-Guintard (Université de Nantes), Maria Antónia Martínez Núñez (Universidad de Málaga), e Carlos de Ayala Martínez (Universidad Autónoma de Madrid).

A participação, em qualquer dos três dias, é gratuita, mas limitadas à capacidade das salas.

 

 

 

 

Deixe uma resposta