Câmara de Palmela estabelece acordo de cooperação com Museu da Música Mecânica

Local Últimas C

A parceria pretende facilitar o acesso da população e das comunidades escolares ao museu. Colocar a estrutura museológica nos roteiros de turismo cultural, a nível local e nacional, é outra das prioridades

 

A cerimónia de assinatura do protocolo de cooperação entre a Câmara de Palmela e a estrutura museológica decorreu na sexta-feira à tarde no Museu da Música Mecânica, em Arraiados, Pinhal Novo. O evento público antecedeu a conferência de imprensa de balanço da Semana da Junta de Freguesia de Pinhal Novo.

O protocolo firmado entre Álvaro Amaro, presidente da Câmara de Palmela, e Luís Cangueiro, coleccionador de instrumentos de música mecânica e proprietário do museu, sediado na Quinta do Rei, visa o reconhecimento do interesse público da unidade museológica; a distinção do Museu da Música Mecânica como Extensão Museológica do Museu Municipal de Palmela e ainda o estabelecimento das condições de acesso da comunidade do concelho de Palmela.

Nos termos do acordo, a autarquia palmelense compromete-se a criar as condições logísticas de deslocação do público residente para fins didáctico-pedagógicos; apoiar institucionalmente a adesão do museu à Rede Portuguesa de Museus e proceder à instalação da sinaléctica direccional do edifício, dado que se localiza numa zona rural. Já o Museu da Música Mecânica fica obrigado a beneficiar os munícipes até aos 12 anos no Dia da Criança e os seniores no Dia do Idoso e favorecer os beneficiários do Cartão Municipal Idade Maior e Palmela Tourist Card.

O Museu da Música Mecânica foi inaugurado em Outubro de 2016, mas o projecto começou a ser pensado em articulação com a autarquia há mais de 15 anos, como explicou Luís Cangueiro. “A nossa colaboração com a Câmara de Palmela já vem de longe, desde que foi pedido o Plano de Pormenor para a construção do museu. E agora que temos este equipamento queremos colocá-lo à disposição da autarquia”, afirmou.

Passados três meses após a inauguração do acervo, que é inédito em Portugal, o coleccionador não tem dúvidas de que a escolha do local foi a mais acertada. “Escolhi este espaço precisamente numa quinta, que muitos dizem ser no ‘meio do nada’, porque considero importante a descentralização da cultura. Neste momento, posso afirmar que a batalha da localização está ganha, uma vez que temos recebido muitos visitantes de vários pontos do país”, acrescentou visivelmente satisfeito.

Álvaro Amaro sublinhou que “o museu merece continuar a ter este sucesso de visitação, que ultrapassa as fronteiras da região e até do país, e ser integrado no roteiro de turismo cultural”, daí a importância deste tipo de parcerias com as entidades públicas. De acordo com as palavras do edil, “o protocolo fruto do trabalho dos serviços educativos municipais pretende que a comunidade escolar e os residentes no concelho de Palmela possam aceder a este espólio riquíssimo com frequência, regularidade e de preferência de uma forma organizada”.

O Museu da Música Mecânica contém 60 peças de 22 tipologias instrumentais diferentes, todas provenientes da colecção de Luís Cangueiro, que investiu na sua preservação e construiu o edifício de raiz para a valorização do espólio. A fachada principal assume a forma de uma caixa totalmente fechada, procurando estabelecer um paralelismo com uma caixa de música. A concavidade junto à porta do edifício relembra as campânulas das centenas de fonógrafos e gramofones espalhados pelas cinco galerias da exposição.

Deixe uma resposta