Voluntiir liga instituições e voluntários à distância de um clique

VOLUNTARIADO. "A Voluntiir tem como missão a educação e promoção do voluntariado"
Local Sociedade B

A Voluntiir é uma plataforma online de utilização fácil, rápida e intuitiva que aproxima instituições e voluntários com interesses comuns: contribuir para causas solidárias, ajudando quem mais precisa

 

Cerca de 30 instituições, 170 utilizadores e dezenas de oportunidades activas fazem já parte da Voluntiir, uma plataforma online criada por três jovens setubalenses com o objectivo de juntar os voluntários que procuram oportunidades e as instituições que necessitam de participação cidadã.

Como “ponto de encontro” entre voluntários e instituições, a Voluntiir permite que qualquer pessoa procure oportunidades de voluntariado à medida dos seus gostos, por área ou localização, e ajuda as instituições “a pouparem recursos na promoção das suas actividades e na procura de voluntários”, explica Raquel Gomes, da equipa da Voluntiir.

O funcionamento da plataforma é simples. Uma vez registadas no site e preenchido o perfil, as instituições “podem criar algumas oportunidades, que aparecem na página principal ou no modo de exploração”. A única condição para aderir é não terem fins lucrativos, sendo que cabe à equipa avaliar e aprovar os pedidos das instituições, que podem ser de qualquer zona do país, conta Pedro Cunha, desenvolvedor do site.

 

“A partir do momento em que podem anunciar uma oportunidade, começar a receber emails e trocar mensagens com os voluntários, as instituições ficam com a vida facilitada”, comenta Raquel.

 

Os voluntários “podem registar-se no site ou através do Facebook, preenchem o seu perfil, procuram a oportunidade que querem, inscrevem-se e entram em contacto com as instituições”, a quem cabe a palavra final. “Algumas instituições respondem de forma mais célere às candidaturas do que outras”, acrescenta João Russo, um dos mentores da ideia.

A ideia de criar este projecto nasceu de uma necessidade real, quando João, 27 anos, estava ainda na universidade e à procura de uma oportunidade de voluntariado em regime pós-laboral, em Setúbal, que não encontrou. “Não há nenhum sítio onde possamos procurar de forma simples e directa” – justifica –, “então eu e o Pedro tivemos a ideia de criar este site”.

O Voluntiir.com está disponível desde Dezembro do ano passado e desde então tem crescido “a um ritmo sustentável”, sempre com novas instituições a entrar. Percebe-se porquê: “a partir do momento em que podem anunciar uma oportunidade, começar a receber emails e trocar mensagens com os voluntários, as instituições ficam com a vida facilitada”, comenta Raquel.

 Jovens mais participativos

No site, os voluntários podem pesquisar oportunidades nas áreas da Educação, Social, Ambiental, Animal, Cultural, Desportiva e Internacional, sendo esta última a que tem maior procura. As causas animais, sociais e ambientais também atraem muitos voluntários – a Associação Feeling Animals, a Refood e a Ocean Alive, por exemplo, são algumas das que trabalham com a Voluntiir.

A maioria dos utilizadores registados são jovens, entre os 18 e os 25 anos, e muitos ainda estudam, o que para a Voluntiir é positivo, nota Raquel. “O nosso objectivo é mesmo promover o voluntariado jovem, para que os jovens se tornem um valor acrescentado nas instituições e na comunidade local”. O facto de os recrutadores valorizarem cada vez mais este tipo de participação nos currículos é um factor de motivação.

 

“Sabe bem chegar ao final do dia com um sentimento de realização pessoal sabendo que demos um pouco do nosso tempo a quem mais precisa”. João Russo

 

Foi também para apelar à participação jovem, e da restante comunidade, que a Voluntiir marcou presença em vários eventos na cidade, ao longo do ano passado, alguns com o apoio do Gabinete da Juventude da Câmara Municipal de Setúbal. Aí a equipa percebeu como “as pessoas têm interesse em participar, mas do interesse ao fazerem vai uma distância. A nossa plataforma dá uma ajuda”, acredita Raquel.

“Quanto mais novos começarem a fazer voluntariado, mais perspectivas têm do que acontece e mais cidadãos activos conseguem ser”, diz a jovem de 24 anos. João vê ainda a voluntariado por outro prisma: “A nossa geração está muito presa à rotina e muitas pessoas não se sentem realizadas, então sabe bem chegar ao final do dia com um sentimento de realização pessoal sabendo que demos um pouco do nosso tempo a quem mais precisa”.

 

Quem são os rostos da Voluntiir

Pedro Cunha, 28 anos, engenheiro informático, iniciou-se no voluntariado a partir dos escoteiros, para onde entrou com 10 anos, e hoje participa em vários projectos. Raquel Gomes, 24 anos, a trabalhar num grupo hoteleiro, sentiu a vontade de ajudar desde pequena. “A minha mãe é professora de ensino especial, por isso desde miúda que comecei a lidar com crianças, como monitora”, e desde então já integrou as equipas de várias causas solidárias. João Russo, 27 anos, analista financeiro, é voluntário desde os 18 anos e participa há três no núcleo de Setúbal da C.A.S.A. – Centro de Apoio aos Sem Abrigo, no bairro da Fonte Nova. Os três amigos trabalham em Lisboa e na hora de ajudar quem mais precisa, não esquecem Setúbal, de onde são naturais.

Fotos: Voluntiir/D.R.

2 comments

Deixe uma resposta