Construção do jardim da Várzea, em Setúbal, começa até Junho, pelas bacias de retenção

Local Regional B

A garantia foi dada pelo vereador André Martins na sessão de câmara da passada quarta-feira, em resposta às questões levantadas pela bancada social democrata

Na sessão pública da passada quarta-feira, Luís Rodrigues (PSD) questionou o executivo camarário acerca da existência do Plano da Várzea, atirando que a autarquia “está continuamente a fazer aterros em zonas de reserva, sem regras”.
Em resposta, o vereador André Martins (PEV), do Departamento de Urbanismo da Câmara de Setúbal explicou que “o plano está assumido pela autarquia e pela população e que o executivo deliberou entregar o trabalho a um técnico da câmara, que está a desenvolver as intervenções, com vista à instalação de bacias de retenção”.  Para tal, a Câmara de Setúbal definiu com as entidades competentes as dimensões e a localização das intervenções, com o intuito de prevenir as cheias na cidade.

André Martins deu conta ainda que a candidatura do Parque Urbano da Várzea apresentada pela autarquia foi aprovada, estando previstas as intervenções para o início da Primavera. “Esperamos que as intervenções comecem a partir de Maio/Junho com os trabalhos de movimentação de terras para a construção das bacias de retenção”, informou.  A primeira bacia será instalada na Avenida da Europa, a segunda nos terrenos livres da Várzea e a terceira com “características mais especiais” na chamada Quinta das Laranjeiras, em Setúbal.

Depois da instalação das três bacias de retenção consideradas “a base da intervenção”, o membro do executivo municipal adiantou que a construção do Parque Urbano da Várzea “virá seguidamente, bem como a conservação do património edificado”. A autarquia declarou ainda que “houve uma negociação com todos os proprietários dos terrenos da Várzea e há o compromisso de lhes garantir capacidade construtiva, quando for elaborado o Plano Director Municipal (PDM), sendo cedidos os terrenos que não tenham capacidade construtiva à Câmara Municipal de Setúbal”.

Deixe uma resposta