Freguesia do Samouco luta por agência bancária e ATM

Local Últimas C

O presidente da Junta, António Almeirim, insurge-se contra fecho de balcão do Crédito Agrícola na vila e deixa recado à administração: “Tenham coragem e digam à população que querem fechar”

Luís Marques, do Conselho de Administração da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Entre Tejo e Sado, acompanhado pelo gerente dos balcões de Samouco e Alcochete, informou o presidente da Junta de Freguesia do Samouco, António Almeirim, que a dependência bancária fechará portas em definitivo na vila samouquense.

A informação foi transmitida ao autarca no decorrer de uma reunião realizada recentemente nas instalações da Junta de Freguesia, com os responsáveis da unidade bancária a alegarem como justificação a “falta de lucros e movimento” no balcão do Samouco, disse António Almeirim ao DIÁRIO DA REGIÃO.

“Até disseram que este balcão apresenta já alguns prejuízos”, acrescentou o autarca, que, no entanto, manifesta-se surpreendido pela “diferente” postura assumida perante os clientes pela Caixa de Crédito Agrícola, entretanto encerrada no Samouco desde o assalto, com recurso a explosão por gás, à caixa multibanco que detinha no exterior das instalações, a 29 de Dezembro último.

“Os clientes, como eu, receberam em casa uma carta a dizer que enquanto durassem as obras de reabilitação das instalações deveriam deslocar-se aos balcões mais próximos, fora da localidade”, lembra o presidente da Junta, defendendo de seguida: “Ora, subentende-se pelo teor desta mensagem que o objectivo da Caixa Agrícola seria o de voltar a abrir portas após a conclusão das obras. A versão acaba, assim, por não coincidir com o que nos transmitiram.”

O autarca diz-se “admirado” com a situação e deixa um recado à administração da unidade bancária: “Seria melhor que tivessem coragem e dissessem à população que querem fechar o balcão no Samouco.”

Junta disponibilizou três locais para receber nova caixa multibanco

Quanto ao facto de a população da freguesia estar agora privada de acesso a qualquer caixa multibanco – uma outra ATM, de uma dependência bancária que existia na vila e havia também fechado portas, fora assaltada anteriormente, pelo mesmo método, sem que tivesse sido reimplantada –, António Almeirim mostra-se esperançado numa solução.

“Logo no mesmo dia do assalto à ATM da Caixa Agrícola manifestámos disponibilidade à entidade bancária para acolhermos a instalação do serviço em três outros locais à escolha: o próprio edifício da Junta de Freguesia; as instalações onde se encontram os sanitários na Praça da República; e o Mercado Municipal”, explicou, reforçando: “Ficaram de estudar qual seria a opção mais viável e de nos darem uma resposta. Estamos agora a aguardar.”

A concluir, o presidente da Junta diz acreditar que o Samouco irá manter o serviço de ATM. “Acredito que vão manter o multibanco e que o local a escolher será o edifício da Junta de Freguesia”, rematou.

2 comments

  1. Fico muito contente por os órgãos da junta terem essa preocupação, mas os clientes dessa dependência receberam uma carta,, agora quem não é merecia pelo menos uma circular para estar informado sobre as reuniões com esses senhores que nos querem virar as costas, mas há mais instituições bancárias secalhar estavam interessadas em por uma caixa de multibanco no Samouco..

Deixe uma resposta