GNR caça “gang” no Porto Alto e apreende milhares de doses de droga e armas

Regional B

Foram detidos três homens e uma mulher, entre os 26 e os 52 anos de idade, com antecedentes criminais por homicídio, associação criminosa, falsificação de documentos, entre outros crimes

A GNR deteve hoje, 11, quatro pessoas por tráfico de estupefacientes, posse ilegal de armas e furto qualificado, além de ter apreendido oito armas e 15 605 doses de droga numa operação realizada no Porto Alto (Benavente).

Em comunicado, a Guarda Nacional Republicana afirma que a operação, conduzida pela sua Unidade de Intervenção, culminou com três buscas domiciliárias e duas não domiciliárias, nas quais foram apreendidos 1,45 quilogramas de heroína (equivalente a 14 550 doses) e 211 gramas de cocaína (equivalente a 1 055 doses). Foram ainda apreendidas três espingardas caçadeiras, duas pistolas de 9 milímetros, uma de calibre .45, outra de 7,65 milímetros e outra de 6,35 milímetros, bem como 320 munições de diversos calibres, e 3 070 euros em dinheiro.

Os detidos, três homens e uma mulher, com idades entre os 26 e os 52 anos, têm antecedentes criminais por homicídio, tráfico de estupefacientes, associação criminosa, furto em estabelecimento comercial, usurpação de identidade e falsificação de documentos, estando agendada para esta quinta-feira a apresentação a um juiz de instrução.

Fonte da GNR disse à Lusa que a operação, desencadeada cerca das 7h00 de hoje no Porto Alto, localidade da freguesia de Samora Correia, concelho de Benavente, tinha permitido apreender doses elevadas de droga e armas ilegais em buscas realizadas no âmbito de uma investigação iniciada há alguns meses.

A operação foi conduzida pela Secção de Investigação Criminal do Grupo de Intervenção de Operações Especiais, sob a coordenação do Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa e envolveu um total de 50 militares. Participaram ainda elementos do Grupo de Intervenção de Operações Especiais, do Grupo de Intervenção de Ordem Pública e do Grupo de Intervenção Cinotécnica, todos da Unidade de Intervenção, acrescenta a nota.

DIÁRIO DA REGIÃO/Lusa

Deixe uma resposta