Câmara de Palmela aprova dois votos de pesar pela morte de Mário Soares

Local Últimas B

Maioria CDU apresentou um texto e o PS outro. Foram ambos aprovados por unanimidade, incluindo pelo vereador da coligação PSD/CDS-PP

 

A Câmara Municipal de Palmela aprovou hoje, em reunião pública do executivo, dois votos de pesar pela morte de Mário Soares. Os dois textos, um apresentado pela CDU e outro pelo PS, foram aprovados por unanimidade, com o vereador da coligação PSD/CDS-PP, Paulo Ribeiro, que se associou como proponente à proposta socialista, a votar também favoravelmente em ambos os casos.

O voto proposto pela maioria CDU apresenta Mário Soares como “destacado opositor do regime fascista” que “destacou-se em muitos dos momentos-chave do combate à ditadura”. O texto, lido pelo presidente da Câmara, Álvaro Amaro, afirma que o fundador do PS tem lugar garantido na história.

“A sua dimensão cultural, humana e europeísta, a frontalidade e coragem demonstradas, ao longo de uma vida de combates pela liberdade e democracia, reserva-lhe um lugar na história nacional e mundial e na memória dos que combateram a ditadura fascista e lutaram pela instauração da democracia.”, destaca o documento.

Já o voto de pesar proposto pelo PS, considera Mário Soares a “figura politica mais marcante do século XX” e um “incansável combatente pela Liberdade e pela Democracia em Portugal”.

O texto, lido pela vereadora Maria Justino, recordou a capacidade de Mário Soares, não para ser consensual, mas para gerir desacordos: “Mário Soares não viveu como um herói, não foi santo, não fez sozinho, não ganhou sempre, não acertou sempre, não morreu como mártir nem merece idolatria. Foi um homem corajoso e convicto, um lutador cívico, um politico eleito pelo povo ao serviço do povo, um homem que merece reconhecimento e gratidão para sempre.”

 

Deixe uma resposta