Óbito Mário Soares: PS lamenta perda do “pai da Liberdade e da Democracia”

Local Últimas B

O antigo chefe de Estado morreu aos 92 anos. Direcção Nacional do PS recorda “a personalidade e o rosto que todos os portugueses identificam com o regime nascido a 25 de Abril de 1974″

 

Mário Alberto Nobre Lopes Soares morreu no último sábado, 7, aos 92 anos. O antigo primeiro-ministro e presidente da república estava internado desde a madrugada do dia 13 de Dezembro no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa.

A Direcção Nacional do PS reagiu de imediato à morte do ex-chefe de Estado, na pessoa de Ana Catarina Mendes. A secretária-geral adjunta do PS afirmou que “Portugal perdeu hoje o pai da Liberdade e da Democracia, a personalidade e o rosto que todos os portugueses identificam com o regime nascido a 25 de Abril de 1974, ‘O dia inicial inteiro e limpo/Onde emergimos da noite e do silêncio’, de que falava a sua amiga Sophia e pelo qual tanto se bateu Mário Soares ao longo de toda a sua vida. Combate que o moveu até ao fim”, lê-se na declaração de voto.

Com o falecimento do ex-presidente, o PS perdeu “a sua maior referência, o nosso fundador e militante número um, figura maior e indelével do socialismo democrático português e europeu”. Para Ana Catarina Mendes, cabe agora aos socialistas portugueses a missão de “saber estar permanentemente à altura do legado deste gigante do socialismo democrático, da Democracia e da Liberdade”.

O presidente “de todos os portugueses” nasceu a 7 de Dezembro de 1924, em Lisboa. Antes e depois da revolução do 25 de Abril, foi um dos rostos principais da resistência à ditadura, lutando acerrimamente pela conquista da liberdade e democracia no nosso país. Foi deputado, euro-deputado, ministro, primeiro ministro e presidente da república.

Foi também o político que esteve na génese da adesão de Portugal à Comunidade Económica Europeia (CEE), actual União Europeia (UE), tendo assinado o tratado de adesão em 1985, numa cerimónia realizada no Mosteiro dos Jerónimos.

O fundador do PS foi visto em público pela última vez em Setembro do ano passado, numa homenagem do actual presidente da república, Marcelo Rebelo de Sousa, à sua mulher, Maria Barroso, que faleceu a 7 de Julho de 2015.

O velório do ex-chefe de Estado português decorrerá esta segunda-feira, 9,  até à meia-noite, sendo aberto ao público. As cerimónias fúnebres prosseguem terça-feira, 10, estando o início previsto para as 11 da manhã. Nesse dia haverão discursos do presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, de alguns familiares e de Marcelo Rebelo de Sousa, presidente da república.

Deixe uma resposta