Seixal exige reposição imediata das carreiras da Transtejo

Regional B Últimas C

Deficiente funcionamento dos serviços têm vindo a prejudicar os utentes. Município do Montijo também já reagiu, com o presidente da Câmara, Nuno Canta, a solicitar reunião urgente ao responsável máximo pela  empresa

A Câmara Municipal do Seixal aprovou, na reunião do executivo, realizada quinta-feira, 15, uma tomada de posição pela reposição da circulação dos barcos da Transtejo e pela melhoria do serviço público de transportes.

Joaquim Santos, presidente da autarquia, entende que “o transporte fluvial no rio Tejo assume uma enorme e estratégica importância na mobilidade das populações da Área Metropolitana de Lisboa, que tem vindo, de há anos a esta parte, a ser posta em causa com a política seguida, assente na redução do número de trabalhadores e das acções de manutenção regular das frotas da Transtejo, conduzindo a vários cortes na oferta de transporte, e à recorrente supressão de carreiras programadas, gerando uma enorme perda de fiabilidade na operação”.

Em causa está a situação vivida pelos utentes da Transtejo, nos últimos tempos, com a constante eliminação de carreiras, devido à paragem de várias embarcações, por falta de manutenção.

“A esta situação de degradação do serviço público de transportes, acresce ainda a necessidade da criação de um sistema tarifário que abarque a intermodalidade em toda a AML”, defende o município do Seixal.

Perante a gravidade que a situação atinge, a autarquia “reivindica a tomada de medidas imediatas na Transtejo, visando a superação da inaceitável situação que priva do direito à mobilidade os utentes do transporte público do concelho do Seixal”.

Montijo pede reunião de urgência

Também a Câmara Municipal do Montijo, através de comunicado e em virtude do deficiente funcionamento das carreiras fluviais da empresa na ligação a Lisboa, revelou que o presidente da autarquia, Nuno Canta, “solicitou, com carácter de urgência, uma reunião com o presidente da Transtejo, Tiago Farias”.

Segundo o município montijense, o presidente da Câmara quer inteirar-se “sobre os problemas que têm ocorrido nas ligações fluviais entre Montijo e Lisboa, os quais têm provocado atrasos e sobrelotação dos barcos”. A reunião terá sido agendada ainda para o dia de hoje, 16 de Dezembro.

Deixe uma resposta