Vitor Proença: “‘Alcácer Com Vida’ já é um sucesso”

Local C

O autarca faz um balanço muito positivo do programa municipal “Alcácer Com Vida” e revela as futuras apostas previstas para dinamizar o sector turístico no concelho. A saber: a iluminação do castelo e da Igreja de Santiago, as obras do museu Pedro Nunes e a construção de um hotel de quatro estrelas no antigo quartel dos bombeiros

 

 

Vítor Proença salienta a importância das parcerias com entidades privadas, sobretudo com a Bolsa de Turismo de Lisboa, para a promoção dos vários destinos turísticos do concelho e os seus recursos. E realça o aumento da procura no sector do turismo cultural, de lazer, de natureza, gastronómico e religioso, impulsionado pelo projecto Alcácer Com Vida.

 

O Alcácer Com Vida é a marca principal mais visível da promoção turística do concelho nos últimos anos. Que balanço faz deste programa?

Um balanço extraordinário. A origem do Alcácer Com Vida remonta aos nossos compromissos eleitorais com a população e com o município de Alcácer do Sal, que tinha como slogan: “Viva Alcácer, Alcácer Com Vida”. Está traduzido nos resultados de um esforço enormíssimo que a Câmara de Alcácer do Sal tem feito para promover o concelho e os seus recursos.

Temos uma cripta arqueológica que aumentou imenso o número de visitantes, cerca de 50% em três anos. Os passeios no Galeão do Sal no Rio Sado aumentaram muito a procura. Na gastronomia, todos os restaurantes de Alcácer do Sal que não fecham ao sábado nem ao domingo registaram números como nunca tiveram. A procura das igrejas tem sido enormíssima, o aumento na procura do parque de campismo tem sido fantástico e esses números traduzem aquilo que se tem passado no território a par do que assistimos no Torrão, com uma procura crescente de visitas na Comporta, que, apesar da crise devido ao colapso do Banco Espírito Santo (BES), aumentou a procura nas praias, no alojamento, gastronomia e restaurantes.

 

Portanto…

Portanto, é caso para afirmar sem hesitações que Alcácer Com Vida representa um caso de sucesso, porque há outras iniciativas inovadoras como passear nos céus de Alcácer por helicóptero, o processo inédito da rota dos brasões ou as caminhadas no conhecimento do património, que têm sido casos bem sucedidos com a vinda de pessoas até da Grande Lisboa.

 

Uma das ferramentas do esforço de promoção que Alcácer tem feito até intensificando esta solução é a aposta na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL).

Duplicámos a área. De um modo geral, os municípios alentejanos têm um módulo e uma presença simbólica. Desde o ano passado duplicámos a área e somos um pavilhão que tem inovação, degustação e sabores, no sentido de dar a provar aos visitantes aquilo que Alcácer tem e que é um dos seus maiores trunfos, a par da beleza da paisagem: a gastronomia. Tem sido um caso de sucesso e sempre com parcerias com entidades privadas quer com a Barrosinha, o grupo Pestana e outros agentes turísticos que estão no terreno.

 

Além da manutenção e reforço da pousada, há também projectos ao nível da oferta de alojamento e de unidades turísticas, designadamente o grande projecto da Pega do Altar e também o interesse já formalmente manifestado na criação de um hotel nas instalações do quartel dos bombeiros. Do lado da oferta também existem novidades no concelho de Alcácer do Sal e esperam-se alterações para o futuro?

 Quando entrámos em 2013, a Pousada D. Afonso II situada no castelo medieval, estava à beira de fechar. Estabelecemos imediatamente relações entre o município e a pousada, porque o Estado e a pousada estavam formalmente de relações cortadas. Estabelecemos essas relações com um protocolo e hoje esta é a segunda pousada da rede de pousadas do grupo Pestana e a segunda com maior procura, já que a primeira é a pousada dos Loios, em Évora. Estamos no Inverno e a pousada apresenta números de quase 100%. A lotação esteve esgotada o Verão todo, tem uma procura enormíssima e estamos a falar de uma gama alta ou muito alta, o que representa uma mais-valia enorme para o concelho.

Mas é evidente que nós necessitamos de outras unidades de alojamento e de continuar a aumentar as camas turísticas. Por isso, já foi aprovado o Plano de Pormenor (PP) do Pego do Altar, em Santa Susana. Agora, está do lado dos promotores todo o processo de investimento para concretizar as infra-estruturas, unidades hoteleiras e de alojamento a construir. Temos um processo que está a evoluir muito bem, localizado no antigo quartel dos bombeiros de Alcácer do Sal que é um hotel de quatro estrelas e outros projectos de alojamento local, que estão a surgir na procura de informação e que podem ser, em breve, oportunidades para a criação de mais alojamento e mais camas turísticas em Alcácer do Sal.

 

Do lado da valorização do património no concelho, há também agora o investimento já iniciado e que está para concretização da iluminação dos monumentos…

… Esse é um projecto fantástico, um processo que tem a ver com o Alcácer Com Vida. Tirar partido de duas belezas monumentais que Alcácer tem: o rio e o espelho de água que constitui numa cidade de duas margens e também património na parte mais alta da cidade. Tirar partido das muralhas, do castelo e também da Igreja de Santiago, igreja de grandes dimensões e visibilidade e que hoje está às escuras. Por outro lado, essa iluminação cénica permite ganhar visibilidade para a A2, onde passam cerca de nove mil viaturas por dia, e para o IC1, onde passam cerca de oito mil. É uma circulação elevada, Alcácer está no meio dessas duas importantes rotas e tem que iluminar a sua montra, porque ela é um espaço maravilhoso.

Há outro projecto de grande dimensão na ordem de um milhão de euros. No início de 2017, dentro do primeiro trimestre vamos iniciar obras no museu Pedro Nunes – Divulgação da Ciência. É um museu na antiga Igreja do Espírito Santo que tem um fantástico portal manuelino e o conteúdo desse novo museu será voltado para o comércio no rio e o papel de Alcácer do Sal na circulação de mercadorias através da rota fluvial, que constitui o Rio Sado.

Deixe uma resposta