Da arte de Odeith nasceu Augusto Cabrita

Local Últimas B

Da arte de Odeith nasceu a imagem de Augusto Cabrita. O célebre cineasta/fotógrafo barreirense, que tem, entre os seus muitos reconhecidos trabalhos, a direcção de fotografia do filme Belarmino, encontra-se, agora, eternizado num edifício municipal, no Largo Alexandre Herculano, vulgo “Largo das Obras”, onde estão instalados os serviços de Planeamento.

Uma pintura de grande formato de Augusto Cabrita é a primeira de várias imagens a surgir em forma de arte pública, numa primeira fase, exclusivamente nas zonas mais antigas do Barreiro.

Sérgio Odeith “é um dos percursores do graffiti” que, depois, “evoluiu para a arte pública”, contextualizou, Ricardo Manso “Tota”, curador de Art In Town.

Odeith, que já esteve no Barreiro em três ocasiões, “representa muitas personagens” da cultura portuguesa, entre as quais, Amália Rodrigues, Zeca Afonso, Carlos Paredes e Nicolau Breyner. O artista tem trabalhos seus em Portugal e no estrangeiro.

O projecto enfatiza a “relação com a memória da cidade”, explica “Tota”. Vários serão os artistas de renome internacional que deixarão o seu marco em vários edifícios do Concelho, estando já agendadas, para este ano, as intervenções: do próprio e do artista Gonçalo MAR.

Naturalmente que estas intervenções, no exterior, poderão ser afectadas (alteradas) devido às condições climatéricas.

Para além da pintura de murais, terão lugar diferentes encontros com os artistas convidados na ADAO, onde se realizarão pinturas colectivas permitindo a interacção entre os artistas e conversas sobre a importância da arte pública na cidade.

Desafio do município à ADAO

A Câmara Municipal do Barreiro (CMB) lançou o desafio à ADAO para que, em conjunto, desenhassem um projecto que enaltecesse a arte pública na cidade e se manifestasse de forma a envolver a comunidade local, artistas locais e nacionais, com forte incidência nas zonas antigas da cidade. Assim nasceu o Art In Town.

O Art In Town tem como “pano de fundo” o património imaterial que se reflecte nas pessoas e na História do Barreiro, permitindo, assim, dar a conhecer a memória colectiva através da arte acessível a todos, numa cidade onde abundam, cada vez mais, os fenómenos criativos e culturais.

As obras nascerão em paralelo com as intervenções, em curso, de requalificação do espaço público. No caso do Largo Alexandre Herculano, em paralelo com as que, agora, decorrem na Urbanização das Cordoarias, com a execução do arruamento de ligação da Praça da Amizade ao Largo das Obras, criação de novas bolsas de estacionamento e áreas pedonais, e arranjo paisagístico/introdução de novos espaços verdes.

 

Deixe uma resposta