Novo modelo da Autoeuropa roda em Agosto de 2017

Regional B Últimas B

A Volkswagen ainda não revelou data para apresentar novo carro a produzir em Palmela, mas já prometeu a Marcelo Rebelo de Sousa e a António Costa que podem vir conduzi-lo em Agosto… depois da apresentação mundial

 

O novo modelo que a Autoeuropa vai começar a produzir no próximo ano já estará a circular em Agosto de 2017. A apresentação internacional do carro que garante o futuro da produção da linha de Palmela não tem ainda data marcada, mas os responsáveis da Volkswagen já prometeram ao Presidente da República e ao primeiro-ministro portugueses que podem conduzir a nova viatura nesse mês do próximo Verão.

A revelação foi feita pelo próprio Presidente da República, esta sexta-feira, em Palmela, na celebração dos 25 anos da fábrica.

“Em Agosto do ano que vem, cá estaremos, Presidente da República e primeiro-ministro para conduzirmos o novo modelo e tirarmos uma fotografia com todos os trabalhadores da empresa”, contou Marcelo Rebelo de Sousa depois de uma visita à fábrica, sem os jornalistas, em que os dois responsáveis políticos tiveram oportunidade de ver os trabalhos e o carro ainda mantido em segredo.

Sem precisar datas, Thomas Ulbrich, membro do conselho de administração da Volkswagen com o pelouro da Produção e Logística, anunciou que a Autoeuropa começa a fabricar o novo carro – um SUV compacto assente na plataforma MQB – a partir do segundo trimestre de 2017, e garantiu que o novo modelo tem grande importância para a marca na guerra pelo mercado dos SUV.

“A fábrica de palmela desempenhará um importante papel na nossa ofensiva no segmento SUV. A Autoeuropa é a equipa certa para construir o novo SUV compacto da Volkswagen. A fábrica constrói tanto carros desportivos como veículos espaçosos, ambos apreciados por muitos clientes em todo o mundo. Isto só é possível com esta equipa. A produção automóvel é um desporto de equipa.”, afirmou Thomas Ulbrich.

Miguel Sanches, director-geral da Volkswagen Autoeuropa, sublinhou a importância do papel dos colaboradores da fábrica e da colaboração prestada pelo Estado português.

 

Deixe uma resposta