Odemira com orçamento de 30 milhões aposta na criação de emprego em 2017

Regional C

O município prevê concentrar a actuação no desenvolvimento económico e emprego, inclusão e solidariedade

Com um orçamento de 30,2 milhões de euros para 2017, a Câmara Municipal de Odemira aponta como prioridades a criação de emprego, o estímulo ao empreendedorismo e a aposta em políticas sociais.

A autarquia presidida pelo socialista José Alberto Guerreiro afirma que pretende “continuar, em 2017, com as apostas prioritárias centradas nas políticas sociais e no estímulo ao empreendedorismo e criação de emprego”. Com vista à “melhoria da qualidade de vida”, o município prevê concentrar a actuação no próximo ano no desenvolvimento económico e emprego, inclusão e solidariedade, participação cívica, segurança e gestão pública, educação, cultura, juventude e conhecimento e no planeamento, qualificação urbana e ambiental.

O investimento na protecção e valorização do território e na qualificação e regeneração urbana está também previsto, assim como na “manutenção e conservação da rede de acessibilidades municipais”.

Segundo a autarquia, a redução local de impostos vai manter-se para “aliviar a carga fiscal dos munícipes e empresas”. Nesse sentido, a edilidade vai continuar também a aplicar a isenção da Taxa Municipal de Protecção Civil aos cidadãos.

Além disso, mantêm-se desde 2010 “os valores de cobrança de serviços de água, águas residuais e resíduos sólidos”.

Projectos ‘estruturantes’ em curso

As empreitadas de desassoreamento da foz do rio Mira, em Vila Nova de Milfontes, e a contenção na arriba da praia da Zambujeira do Mar, promovidas pela sociedade Polis Litoral Sudoeste, da qual a Câmara de Odemira faz parte, são também realçadas, já que têm conclusão prevista para o próximo ano.

Na área do ambiente, a autarquia prevê a construção de novos sistemas de tratamento da qualidade da água e concluir diversas obras em curso, além de prosseguir o Plano de Investimentos da responsabilidade da empresa Águas Públicas do Alentejo. Neste âmbito, em curso estão projectos considerados “estruturantes” pelo município, como é o caso da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de São Teotónio, o concurso para a ETAR de São Luís e o reforço do abastecimento de água às zonas envolventes do Brejão, Vila Nova de Milfontes Nascente, São Luís, Pereiras-Gare, Fornalhas Novas e Bicos.

Deixe uma resposta