Atelier da Google lançado em Setúbal quer qualificar jovens

PROJECTO. Responsáveis da empresa apresentaram Atelier Digital no Instituto Politécnico de Setúbal
Regional Últimas B

Estudantes dos institutos politécnicos de Setúbal e Leiria e da Universidade de Aveiro serão os primeiros a ter acesso a formação presencial gratuita já no início de 2017.

 

A iniciativa da Google, que quer ajudar os jovens portugueses a adquirir competências digitais através de uma formação online e de um curso presencial, foi apresentada na Escola de Ciências Empresariais do Instituto Politécnico de Setúbal Instituto Politécnico, segunda-feira de manhã.

O Atelier Digital consiste numa série de cursos que estão já disponíveis na Internet, com 23 tópicos de aprendizagem, à base de tutoriais em vídeo, com exercícios e um exame final. A conclusão dos exercícios – que abrangem temas como pesquisa, email, redes sociais, redes display, vídeo, e-commerce e web analytics – confere uma certificação final reconhecida pela IAB (Interactive Adverstising Bureau) Europe, a principal associação da indústria interactiva a nível europeu.

A formação presencial – ao longo de três dias, gratuita e dada por professores da IAB Europe – chegará no início de 2017 aos alunos de Setúbal, Aveiro e Leiria, as cidades escolhidas para acolher o projecto na fase piloto.

“Há mais de 60 mil estudantes em áreas como a engenharia, tecnologia, gestão, marketing, design e comunicação nas quais esta formação é de grande pertinência”, notou Nuno Mangas, presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos, na cerimónia de apresentação do Atelier Digital.

O projecto destina-se essencialmente a jovens até aos 30 anos, mas está aberto a qualquer pessoa, dentro e fora do mercado de trabalho, sem limite de idade e com ou sem grau académico, segundo os responsáveis da Google. Para participar basta fazer a inscrição na plataforma.

A secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Maria Fernanda Rollo, destacou o empenho do governo português em proporcionar a aquisição de competências digitais aos alunos do ensino superior, assim como a outros sectores da sociedade.

Essas oportunidades passam, segundo acrescentou, pela iniciativa Competências Digitais, que pretende formar “até 20 mil pessoas até 2020″, com o apoio dos institutos politécnicos, que “têm uma consciência muito clara nesse sentido e estão a fazê-lo em todo o território nacional”.

“Ao trazer esta iniciativa para Portugal, a Google está a contribuir também para ajudar os jovens portugueses a terem um acesso mais fácil não apenas ao conhecimento, mas também à formação imprescindível nos tempos de hoje, ao mercado de trabalho e também a contribuir para o empreendedorismo”, afirmou ainda Francisco Ruiz, director de Assuntos Institucionais da Google Portugal e Espanha.

O projecto, que entretanto já foi implementado noutros países, envolve neste momento 600 mil jovens, só em Espanha, sendo que 120 mil já têm um certificado de formação, revelou o responsável da gigante norte-americana.

Os programas da Google no âmbito da qualificação das populações em competências digitais vão ao encontro das grandes prioridades económicas e sociais da União Europeia. Segundo a Comissão Europeia, deverão surgir nos próximos anos 820 mil vagas em competências digitais e as empresas com maior probabilidade de sucesso e crescimento serão aquelas que possuam essas competências.

No evento estiveram presentes Maria Fernanda Rollo, Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Nuno Mangas, presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos e Mercedes Balsemão, presidente da SIC Esperança, em representação das entidades que apoiam o Atelier Digital da Google em Portugal, entre outros convidados.

Deixe uma resposta