Obras na Secundária Jorge Peixinho prontas em Dezembro

OBRA. Nuno Canta tirou o chapéu à execução dos trabalhos
OBRA. Nuno Canta tirou o chapéu à execução dos trabalhos
Local

Execução dos trabalhos no pavilhão desportivo e arranjos exteriores ficam concluídos no final do mês. Comitiva autárquica, representantes da Parque Escolar e do estabelecimento de ensino satisfeitos

“Há quantos anos estava o pavilhão desportivo por remodelar?”, começou por perguntar Nuno Canta, durante a visita com os jornalistas, na passada segunda-feira, à última fase das obras de requalificação da Escola Secundária Jorge Peixinho. A questão era dirigida ao vice-presidente da Câmara, Francisco dos Santos, que durante anos a fio foi presidente do Conselho Directivo do estabelecimento de ensino e que retorquiu de imediato: “Tenho impressão que desde que foi inaugurado.”

A comitiva, que integrou representantes da Parque Escolar, além dos vereadores Francisco dos Santos e Maria Clara Silva, bem como o presidente da Junta, Fernando Caria, não susteve alguns risos, que ilustravam também a satisfação pelo anúncio da conclusão do projecto da Parque Escolar já no próximo mês. Está previsto que os alunos iniciem o segundo período deste ano lectivo, a 3 de Janeiro, já com a possibilidade de praticarem Educação Física nas instalações da escola. Disciplina que, ressalvou a directora do estabelecimento, Maria João Serra, só foi possível manter fruto da “colaboração da Câmara”, que tem vindo a ceder o Pavilhão Municipal n.º 1 para o efeito. Maria Clara Silva, vereadora da Educação, anuía ao reconhecimento da responsável, enquanto o presidente da autarquia fazia contas à data de finalização das obras. “Em Dezembro… Temos de convidar o ministro a vir cá”, soltou Nuno Canta, enaltecendo de seguida a “boa vontade” da Tomás de Oliveira em ter retomado a obra.

Obra custou à tutela mais de 11 milhões

Esta última fase da requalificação representou um investimento de cerca de 3,5 milhões de euros. O custo total da empreita ascendeu a 11 milhões e 333 mil euros, abrangendo uma área global de 8 mil 304 metros quadrados, dos quais 5 mil 444 m2 são de nova construção. Em finalização, encontra-se o pavilhão desportivo e os arranjos exteriores.

Recorde-se que a obra esteve suspensa entre Março de 2013 e Janeiro de 2016, devido a um diferendo de uma verba de “cerca de 18 mil euros” entre o Ministério da Educação do Governo anterior e o empreiteiro, situação entretanto ultrapassada.

Em Setembro do próximo ano, a Secundária Jorge Peixinho vai comemorar seis décadas de existência, mas com um aspecto totalmente renovado e moderno.

Deixe uma resposta