Novo “Inspector Max” gravado em Setúbal promete atrair turismo

Local B Últimas

Protocolo de cooperação assinado entre o município e a produtora Coral Europa abre caminho às filmagens que prometem projectar a cidade e atrair visitantes

 

O protocolo de cooperação que regula a realização das filmagens da série policial da TVI “Inspector Max” na cidade de Setúbal foi assinado por Maria das Dores Meira, presidente da Câmara Municipal, e por José António Pedro, presidente do Conselho de Administração da Coral Europa, num evento que decorreu no Hotel do Sado, na terça-feira.

“Este é sem dúvida um excelente investimento nas capacidades da cidade e um estímulo à ficção nacional”, começou por enaltecer a presidente da autarquia sadina, chamando a atenção para a “disponibilidade” do município em “apoiar logisticamente, e com isenção de taxas em valores muito significativos”, aqueles que têm procurado Setúbal para filmar projectos audiovisuais.

O protocolo assinado entre o município e a produtora, responsável pela produção da terceira temporada da série “Inspector Max”, significa uma isenção do pagamento de taxas no valor de mais de 37 mil euros e uma “agilização dos procedimentos para a utilização de locais de gravação públicos e edifícios particulares, ao nível de fachadas e interiores de prédios, hotéis, associações desportivas, bares e restaurantes e discotecas, desde que previamente autorizados pelos proprietários”.

A Coral Europa compromete-se também a fazer incidir o enredo da série na região e no concelho de Setúbal, garantindo que “as povoações e lugares serão evocados pelo respectivo topónimo”. Na óptica da autarquia, isso traduzir-se-á num “enorme suplemento de visibilidade que leva o nosso nome mais longe e que traz mais turistas, mais visitantes, mais negócio e mais riqueza para o nosso povo”, disse Maria das Dores Meira.

 

Cão polícia regressa a Setúbal

“Inspector Max” é uma série policial cuja personagem principal é o inspector Jorge Mendes (Fernando Luís), um homem solitário desde a morte da esposa, a viver com os filhos. Na primeira temporada, o inspector trabalhava no Departamento de Investigação Criminal de Setúbal, até o sucesso no combate ao crime promover a equipa, mais tarde, para o Departamento Especial de Combate ao Crime, em Lisboa.

Agora, a história da série, renovada, recentra-se em Setúbal, onde Jorge Mendes e o inspector Max, de quatro patas, continuarão a prender criminosos. Fernando Luís revelou ao DIÁRIO DA REGIÃO que “as gravações na cidade estão a correr bem”, tendo já sido filmadas várias cenas em ambientes exteriores, “onde se passam todas as cenas de acção, como os salvamentos do Max”. “Já fizemos [a gravação de] uma explosão e o Max esteve brilhante”, acrescentou.

Para o actor setubalense, a residir em Lisboa e que admite ter Setúbal “no coração”, a ideia de fazer regressar o local da acção à cidade “foi excelente” e o facto de a cidade ser “mais pequena dá muita veracidade à série e transmite-lhe familiaridade”. Sobre o trabalho com os cães, autênticos actores de quatro patas, contou que “é um prazer trabalhar com estes parceiros incríveis, esta raça é inteligentíssima”.

Ao actor juntam-se Ruy de Carvalho, Patrícia Tavares, Gabriela Barros, Rui Santos, Rita Salema, Isaac Alfaiate, José Carlos Pereira, Madalena Brandão, Maura Faial, Mariana Marques Guerra e outras caras conhecidas do grande público, interpretando personagens numa história renovada.

 

Sucesso de audiências há 12 anos

Bruno Santos, director de programas da TVI, mostrou-se convicto de que a nova temporada de “Inspector Max” vai liderar as audiências, tal como as exibições das temporadas anteriores. “Tenho a certeza de que este projecto televisivo vai voltar a fazer parte de todas as famílias portuguesas e a TVI espera nada mais, nada menos do que uma liderança absoluta”, afirmou.

Certo é que as audiências dos episódios exibidos em repetição, há quase doze anos desde a estreia da primeira temporada, em 2004, não deixam grande margem para dúvidas, fazendo da longevidade e sucesso da série um caso de estudo na televisão portuguesa, “prova de que o Max é uma marca importantíssima para a TVI”.

As gravações da terceira temporada da série – com 26 episódios encomendados até ao momento, muito menos do que os 104 produzidos desde o lançamento há doze anos – começaram em Lisboa e decorrem já há uma semana e meia em vários locais da cidade, como a Avenida Luísa Todi e ruas do centro histórico.

Segundo a produtora, vão prolongar-se até Março de 2017 e a chegada do novo “Inspector Max” – que por agora tem o título provisório “Max Júnior” – à antena do canal está prevista para o primeiro trimestre do novo ano.

Deixe uma resposta